Retirada de Napoleão de Moscou
Retirada de Napoleão de Moscou

Napoleão Bonaparte chegaria ao poder na França, fazendo parte do processo da Revolução Francesa, quando em um período de instabilidade política devido às disputas pelo poder entre Jacobinos e Girondinos (1789-1799), Bonaparte com o apoio dos Girondinos iria impor o Golpe dos 18 Brumário (9 de Novembro de 1799), nome do mês do Calendário Revolucionário Francês.

O General Bonaparte conseguiria esse feito devido ao seu prestígio com as suas vitórias militares internas, como a Segunda Coalizão (união de algumas regiões do Sacro Império Romano-Germânico, Grã-Bretanha, Rússia) e externas na Itália (1797) e Egito (1799), mesmo não conseguindo a conquista definitiva do Egito, Bonaparte conseguiu vitórias importantes na região, e grande parte do espólio egípcio que se encontra no Museu do Louvre.

Nesse contexto, Bonaparte derruba o Diretório e instaura o Consulado, e governa juntamente com outros dois Consulês (Roger Ducos e Emmanuel Sieyés), e essa forma de governo durará até 1804, quando Napoleão acaba com o Consulado através de um Plebiscito e torna-se Imperador da França.

Coroação de Napoleão Bonaparte como Imperador
Coroação de Napoleão Bonaparte como Imperador

Como Imperador da França, Bonaparte continua com a política expansionista que foi iniciada no final do século XVIII e tenta conquistar grande parte do continente Europeu. O General e agora Imperador consegue diversos êxitos, pois até 1805, quando ele é derrotado na Batalha Marítima de Trafalgar, Bonaparte tinha conseguido grandes vitórias no âmbito terrestre e isso permanecerá até 1812 quando ele terá a sua derrota na Campanha da Rússia.

A Rússia seria invadida depois de os russos não aceitarem mais participarem do Bloqueio Continental, proibição feita as nações europeias que fizessem comércio com a Grã-Bretanha, com o objetivo de enfraquecer a economia britânica e posteriormente sua força militar, e da criação do Grão-Ducado de Varsóvia, que ameaça a segurança dos russos, devido o exército francês estarem junto as suas fronteiras.

A campanha da França na Rússia começava com algumas perdas, como alguns milhares de soldados que seguiram para Portugal, para mais uma invasão ao País, no entanto, o exército francês marchava para Rússia com aproximadamente 680 mil homens.

Na fase de planejamento para o conflito, iniciou-se as primeiras adversidades, pois o exército francês era muito maior do que em campanhas anteriores, o que provocava uma dificuldade na logística para repor os suprimentos, armamento e munições. Nas outras batalhas, as rápidas manobras do exército francês sobre a retaguarda dos inimigos foram necessárias para a captura desses recursos.

Na campanha da Rússia, a tentativa de conseguir esses recursos dentro da nação invadida, era outra dificuldade, devido o território ser pobre, imenso, e pouco povoado para suas dimensões. A logística para o confronto aconteceu através de comboios, o que causava uma dificuldade para a marcha das tropas, pois iria se perder muito tempo. Bonaparte contava com uma guerra rápida e por isso utilizou recursos para uma pequena quantidade de dias, causando mais um erro no seu planejamento para a guerra.

Nesse aspecto, o planejamento da Rússia foi bem sucedida, já que os russos desejavam evitar ao máximo uma batalha decisiva, e para isso, eles estavam dispostos a recuar e entregar seus territórios, provocando uma estratégia de desgaste, o que possibilitou Bonaparte marchar até Moscou, sem grandes batalhas e algo no qual ele não desejava quando projetou sua estratégia.

Napoleão na Rússia
Napoleão na Rússia

Na Rússia, Bonaparte tinha como estratégia dividir os exércitos e combatê-los, mas devido à lentidão dos comboios de suprimentos e das estradas russas, a sua tática não funcionou.

O exército francês já tinha chegado a Moscou, sem uma batalha decisiva e sem conseguir dividir definitivamente o exército russo, nesse momento as tropas já sofriam com as condições climáticas da região e com a dificuldade de conseguir suprimentos, devido os comboios não conseguirem acompanhar a marcha do exército e da quantidade ter sido insuficiente, devido ao planejamento feito por Bonaparte de uma guerra rápida, e de um plano russo, de colocar fogo em tudo que foi deixado para trás por eles e que poderia ser usado pelos franceses na chamada tática da “terra arrasada”.

Napoleão em Moscou
Napoleão em Moscou

As tropas que tinham iniciado a campanha na Rússia, já tinha boa parte se perdido pelo caminho, com pequenas batalhas e principalmente doenças, devido a má alimentação e ao clima instável da região, dos aproximadamente 680 mil homens, que foram enviados para a batalha, menos 100 mil conseguiram sair do território russo.

Napoleão deixando a Rússia
Napoleão deixando a Rússia