A Espada de Stalingrado

Espada-de-Stalingrado-02

Os anos iniciais da Segunda Guerra Mundial se apresentaram especialmente funestos às nações europeias. Restava somente a Grã-Bretanha de pé, lutando sozinha contra o Eixo. O Japão golpeava no Oriente, a Alemanha atacava pelos céus e pelo mares, buscando o estrangulamento de bens britânicos e a pouco tempo a Itália se unira ao esforço alemão, concentrando-se especialmente na África e Mediterrâneo. Mesmo poderosa, a Grã-Bretanha havia sofrido severas derrotas, destacando a retirada de Dunquerque em 1940 como uma das mais dramáticas.

Enquanto a Grã-Bretanha lutava para não sucumbir à máquina alemã, a Alemanha voltou suas atenções para sua recente aliada, a União Soviética. Em 1941 o mundo percebeu que a aliança não passou de um artifício para ganhar tempo, a URSS estava sob severo ataque, as forças alemãs avançavam incansavelmente adentro do território soviético, parecia que mais uma nação cairia frente a poderosa Alemanha de Hitler.

No entanto, em 1942 a sorte da guerra mudou, a Alemanha falhara em conquistar a URSS, sua máquina de guerra emperrou em Stalingrado. Um raio de esperança iluminou o mundo, a Alemanha sofrera uma pesada derrota, era possível vencer a máquina de guerra do Reich.

Winston Churchill, o Primeiro-Ministro britânico à época, não simpatizava com Stalin, mas concluiu que a Grã-Bretanha deveria se utilizar do ganho político desta vitória em benefício próprio. Juntamente com o rei George VI da Inglaterra, foi tomada a decisão de demonstrar a  gratidão britânica à União Soviética,   por sua bravura e sacrifício contra o inimigo comum, através da entrega de um presente simbólico. Após diversos debates, foi decidido que o presente seria uma espada comemorativa.

Decidido então que seria entregue uma espada, foi entregue em 1943 a  R. M. Y. Gleadowe, antigo professor de arte de Oxford, a incumbência de traças as linhas do objeto. Para a criação das linhas da espada, foi tomada como base a “Espada do Cruzado”, uma espada longa de dois gumes, empunhada com as duas mãos. O desenho foi então apresentado ao rei George VI e este o aprovou pessoalmente. Um comitê de nove integrantes do “Goldsmiths Hall” (algo como Câmara dos Armeiros) encarregou-se de supervisionar a fabricação  da arma, para tal buscou encontrar os melhores armeiros da Inglaterra para tal empreitada. Coube à  famosa “Wilkinson Sword” o trabalho de forjar a espada.

O renomado ferreiro Tom Beasley
O renomado ferreiro Tom Beasley

Dois ferreiros especializados na fabricação de espadas foram os responsáveis por esta tarefa. O ferreiro-chefe era Tom Beasley. Nascido em 1860, trabalhava no ofício desde os 8 anos de idade, quando ajudava seu pai na forja, a família de Beasley tinha tradição na fabricação de espadas desde o ano de 1700 (este fato foi mencionado ao Embaixador Soviético em 1946, por ocasião de uma exibição da espada. Beasley foi apresentado na ocasião como o “Homem que produziu a Espada de Stalingrado”. O embaixador o convidou a visitar a Rússia, mas Beasley recusou o convite, dizendo apenas que já havia recebido sua recompensa pela tarefa. Tom faleceu em 1950, aos 90 anos de idade).

O ajudante de Beasley nesta importante tarefa era Sid Rouse (em 1944 os cidadão de Stalingrado presentearam os dois ferreiros que criaram a espada. Sid Rouse recebeu um livro contendo numerosas fotos da espada. Livro este que que hoje pertence a seu neto John Dixon, que mantém viva a tradição de fabricar espadas).

O aço especial para a confecção da lâmina foi fornecido pela Sanderson Brothers e Newbould de Sheffield.

A lâmina contêm gravada a  inscrição

“TO THE STEEL-HEARTED CITIZENS OF STALINGRAD, THE GIFT OF KING GEORGE THE SIXTH, IN TOKEN OF HOMAGE OF THE BRITISH PEOPLE.” (AOS CIDADÃOS DE CORAÇÃO-DE-AÇO DE STALINGRADO, O PRESENTE DO REI GEORGE VI, COMO SÍMBOLO DA HOMENAGEM DO POVO BRITÂNICO).

Esta inscrição está gravada também em sirílico, na outra face da lâmina de 36 polegadas (914mm).
Esta inscrição está gravada também em sirílico, na outra face da lâmina de 36 polegadas (914mm).
Detalhe da empunhadura
Detalhe da empunhadura

O guarda-mão tem 10 polegadas (254mm) de comprimento e é feito em prata maciça. As extremidades do guarda-mão têm como acabamento uma cabeça de leopardo. A empunhadura (para duas mãos) é feita com um fio de ouro enrolado e seu acabamento é feito com cristal de rocha. A bainha foi feita com pele de cordeiro persa, tingido de carmim e com acabamentos em prata. Também recebeu o escudo real britânico e três estrelas de cinco pontas em ouro, cravejadas com rubis. A espada tem comprimento total de 1,25 metro (4 pés) e demorou três meses para ser concluída.

No detalhe – A Cabeça de leopardo gravada nas extremidades do guarda-mã
No detalhe – A Cabeça de leopardo gravada nas extremidades do guarda-mã

A espada foi exibida em diversas cidades britânicas, como Belfast, Birmingham, Bristol, Cardiff, Coventry e Londres, onde foi exposta no “Goldsmiths Hall” e no V&A Museum. Também foi exibida em Manchester, Sheffield e na Catedral de Winchester. A entrega da espada foi realizada pelo Primeiro-Ministro Winston Churchill, no salão de festas da Embaixada Soviética em Teerã, por ocasião da “Conferência de Teerã, realizada no dia 29 de novembro de 1943.

Cerimônia de Entrega – Conferência de Teerã 29-nov-1943
Cerimônia de Entrega – Conferência de Teerã 29-nov-1943

Churchill passou a espada às mãos de Joseph Stalin, num ato que visava honrar a heróica defesa de Stalingrado, que a recebeu e ao que tudo indica, beijou sua bainha. Em seguida a entregou ao Marechal Klementi Voroshilov, a quem coube a honra de empunhá-la. Durante a entrega estavam presentes também o presidente dos EUA, Franklin D.  Roosevelt, além de diversos chefes militares dos EUA, URSS e Reino Unido.

Aqui o presidente dos EUA, Franklin Dellano Roosvelt empunha a espada
Aqui o presidente dos EUA, Franklin Dellano Roosvelt empunha a espada

A “Espada de Stalingrado” se encontra exposta no Museu Panorâmico da Batalha de Stalingrado, em Volgogrado (ex Stalingrado) – Rússia. Além da espada entregue, foram feitas posteriormente mais três cópias idênticas. Uma delas se encontra exposta no Wilkinson Museum, em Acton, Londres. Outra cópia foi entregue ao Sr. Cardiner – chefe da missão americana na Inglaterra. Cardiner manteve a espada em seu poder e a espada acabou esquecida após sua morte. Alguns anos depois, a espada foi entrada pelo neto de Cardiner, que entrou em contato com a Wilkinson, para maiores informações a para que esta o auxiliasse na venda do artefato. Esta cópia encontrava-se à venda no ano de 2007 (aparentemente ainda não foi vendida). A terceira cópia encontra-se em exibição pública no Military Intelligence Museum, nas proximidades de Shefford, em Bedfordshire, Inglaterra

Joseph Stalin beija a bainha da espada no seu recebimento
Joseph Stalin beija a bainha da espada no seu recebimento. Winston Churchill está logo à sua frente.

Fonte 1

Fonte 2